Sedimento fino

Sou argila,
sedimento fino em suspensão.
Toda intempérie me carrega.
Parte de mim é erosão.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Sem título

Apesar de toda adversidade,
no final,
sempre resta uma escolha.
Aquela inevitável escolha
que nos aguarda no ermo do nosso universo.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Sem título

Quando de profana a sacra me escapou
e aos dias e noites dobrou-se em liturgia?
Logo quando, ironicamente, o temor se foi.
Retorna a ícone, sem idolatria.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Sem título

O tempo transforma toda a forma. Dos prédios que crescem como flores apressadas às borboletas suicidas na estrada.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Sem título

Enquanto chove,
enquanto é dia, enquanto é noite,
enquanto a vida passa,
eu faço o que sei fazer de melhor:
Nada.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Sem título

Descendo a ladeira,
à margem, à beira,
foi que sofri
o que posso chamar de
o atentado mais terrível
contra mim.
E foi descendo esta ladeira
que encontrei a salvação,
a maravilhosa prova
de que sou um miserável de sorte.

domingo, 19 de outubro de 2014

Quando a música terminar (The Doors)

Quando a música terminar
apague as luzes.

Quando a música é sua amiga íntima
dance no fogo, se ela quiser.
Música é sua única amiga
até o fim.

Cancele a minha inscrição para a ressurreição.
Mande minhas credenciais para a casa de detenção,
tenho alguns amigos lá dentro.
O rosto no espelho não vai parar.
A garota na janela não vai cair.
Uma reunião de amigos
- "Viva!", ela gritou
esperando por mim
do lado de fora.

Antes que eu mergulhe
no grande sono
eu quero ouvir
o grito da borboleta.
Volte, querida,
de volta aos meus braços.
Estamos nos cansando de ficar parados
aguardando com nossas cabeças junto ao chão.
Eu ouço um som muito suave,
muito perto, mas ainda muito distante,
muito brando, sim, muito claro.
Venha hoje, venha hoje.

O que eles têm feito com a Terra?
O que eles têm feito com nossa irmã gentil?
Arruinaram e saquearam e a rasgaram e a morderam.
A esfaquearam durante o amanhecer.
A prenderam com estacas e a arrastaram.
Eu ouço um som muito suave
com sua orelha colada no chão.

sábado, 18 de outubro de 2014

Sem título

Aquele amor tinha a envergadura de um
grande pássaro predador,
que me apanhou e me levou para muito alto,
para longe da terra.
E todos precisamos da terra.
Todos precisamos de chão.
Aquele amor fora uma grande frustração
- e ainda é.
É como a obra de uma vida,
uma obra inacabada,
uma desgraça para o artista,
para o inventor,
para o poeta.
Foi uma grande frustração
não ter completado a minha obra.
Uma grande frustração não tê-la completado,
não fazê-la completa.